terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O Verdadeiro Sentido do NATAL



Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano.
Este foi o primeiro recenseamento feito quando Quirino era governador da Síria.
E todos iam para a sua cidade natal, a fim de alistar-se.
Assim, José também foi da cidade de Nazaré da Galiléia para a Judéia, para Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi.
Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida em casamento 
e esperava um filho.
Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê,
e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.
Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite 
tomavam conta dos seus rebanhos.
E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados.
Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo:
Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor.
Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura".
De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, 
louvando a Deus e dizendo:
"Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor".
Quando os anjos os deixaram e foram para o céu, os pastores disseram uns aos outros: "Vamos a Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos deu a conhecer".
Então correram para lá e encontraram Maria e José, e o bebê deitado na manjedoura.
Depois de o verem, contaram a todos o que lhes fora dito a respeito daquele menino,
e todos os que ouviram o que os pastores diziam ficaram admirados.
Maria, porém, guardava todas essas coisas e sobre elas refletia em seu coração.
Os pastores voltaram glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido, como lhes fora dito.

Lucas 2:1-20



terça-feira, 18 de dezembro de 2012

PLANEJANDO E IMPLANTANDO UM MINISTÉRIO COM HOMENS



Se você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve

Todo planejamento deve ser executado, por nós mesmos. Mas, não pense que planejar é a palavra mágica... Deus é o único elemento indispensável.
Prov. 2:3-6; 16:1

Ore!

1. Então, agora, a palavra para nós hoje é: PLANEJAR.

O trabalho hoje girará em torno de dois grupos de perguntas. Acredito que após responder cada uma delas, com cuidado e paciência, nascerá um Ministério de Mentoreamento de Homens.


A.   Primeiro Grupo de perguntas.

Para iniciar, vamos responder juntos 5 perguntas:
1.      O que? o que querem fazer, o que os fez chegar até aqui?
2.      Por que? qual a razão pela qual vocês querem fazer isso?
3.      Quem é o líder? há um responsável, alguém que vai o catalizador?
4.      Como será feito? dias de encontros, materiais de estudo, objetivos
5.      Onde será feito? Ebd, filmes, encontros, jantares, reuniões, etc
6.      Quando será feito? firmar uma agenda de eventos para tudo acima


B. O segundo grupo de perguntas.

Neste grupo de perguntas, seguiremos um acróstico da própria palavra PLANEJAR.

1.    Priorizar necessidades e oportunidades.
Característica principal do grupo: edificação, evangelismo, etc.
Listar as necessidades do grupo e dos homens de fora (no mundo): criação de filhos, resolver conflitos, comunicação do casal, etc.

2.    Levantar recursos e possibilidades.
Local adequado para as reuniões, as pessoas têm condições financeiras de ir aos encontros fora da igreja (sítios, picnics, etc).
Os lares poderão ser usados – uma vez de casa
A igreja pode dispensar alguma verba para despezas?
Quantas e que tipo de reuniões por semana (só EBD basta), por mês (um ou mais encontros nos lares), por ano (retiro, um dia em um sítio)

3.    Aprovar o projeto, segundo a ótica de Deus.
Parar aqui e avaliar: tudo que se pensou até aqui, pode-se dizer que está dentro da vontade de Deus para seu povo?
Há algo que fugirá dos limites sadios da Palavra?
Pode-se dizer que está se fazendo a vontade de Deus com este ministério?

4.    Nomear os responsáveis.
Quem será o líder do Ministério?
Quem serão os facilitadores/ministradores?
É preciso conselheiros? – à moda antiga ou não?
Quem serão os conselheiros e qual será a contribuição/função de cada um?
Descobrir se cada líder é:
FIEL (pode não ser um grande conhecedor, mas tem que ter compromisso, lealdade, e principalmente temor a Deus),
DISPONÍVEL (não adianta ser ser fiel, mas não ter tempo pra nada, compromisso exige tempo e dedicação),
CAPAZ (o menos importante - tentar encaixar pessoas segundo dons e talentos já reconhecidos).
Tornar os líderes reconhecidos e conhecidos – na hora certa.

5.    Executar com eficiência e eficácia.
Fazer com eficiência é fazer o melhor de si, buscando a solução de cada problema apresentado.
Fazer com eficácia é fazer até que o problema desapareça.

6.    Just-in-time – ajuste sempre que possível.
Quando não puder fazersegundo o planejado, faça o mais perto possível.
Se der errado, não entregue os pontos. Ajuste a situação ao plano inicial o máximo que puder.
Exemplo 1: chover no meio do picnic – termina no salão da igreja, em baixo de uma árvore, em uma casa do grupo, etc. Deixa Deus trabalhar!
Exemmplo 2: não houve inscritos suficientes para o jantar romântico – junta os que tem e vão para a pizzaria, para uma casa e peça pizzas – daí glória em tudo... Deixa Deus trabalhar

7.    Avaliar os resultados.
Faça pesquisas para saber a opinião das pessoas.
Não faça perguntas cujas respostas serão SIM ou NÃO.
Perguntas relevantes: o que você acha que poderia ser diferente? O que mais tem te impactado neste Ministério?
Defina de quanto em quanto tempo será feita uma nova pesquisa.
Faça os ajustes – depois de falar o que pensa as pessoas desejarão ver mudanças de melhoria.
Explique porque mudou e porque não mudou.

8.    Reconhecer os envolvidos.
Traga pessoas à frente, no culto – é testemunho, não exposição!
Mostre fotos e dê oportunidade para as pessoas testemunharem.
Honre os destaques – a quem honra, honra!
Uma vez por ano, premie os obreiros com livros, pague a pizza, etc.
Ore sempre na igreja por este ministério.

Últimos avisos/”toques”

·        Sempre preveja erros e desvios.
·        Alistar recursos: humanos (quem/quantos estão disponíveis), o que já temos de conhecimento sobre o projeto, tempo necessário por evento, materiais, verba.


Pr. Paulo Santos / Planejando e Implantando um Ministério com Homens / Set.2007


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Cantata de Natal - Prestigiem!!!

Cantata: Jornada de Fé
Igreja Batista Esperança em Vila Mariana
Rua Loefgreen, 1279 - Vila Mariana - São Paulo / SP / Brasil
www.ibe.org.br